sábado, 7 de janeiro de 2017

Viver sem ti - Jojo Moyes



Sinopse:

     "Como seguir em frente depois de se perder a pessoa amada?              
Como construir uma vida que valha a pena ser vivida?         

Louisa Clark já não é uma jovem banal a viver uma vida banal. O tempo que passou com Will Traynor transformou-a, sendo agora uma pessoa diferente que tem de enfrentar a vida sem ele. Quando um insólito acidente obriga Lou a regressar a casa dos pais, é impossível não sentir que está de volta ao ponto de partida.    
Lou sabe que precisa de um empurrão que a traga de novo à vida. E é assim que acaba por ir parar ao grupo de apoio Seguir em Frente, cujos membros partilham sentimentos, alegrias, frustrações e bolos intragáveis. Serão também eles que a levarão até Sam Fielding - um paramédico que trabalha entre a vida e a morte, e o único homem que talvez seja capaz de a compreender. Mas eis que uma personagem do passado de Will surge de repente e lhe altera todos os planos, lançando-a num futuro muito diferente…. Para Lou Clark, a vida depois de Will Traynor significa reaprender a apaixonar-se, com todos os riscos que isso implica.            

Em Viver Sem Ti, Jojo Moyes traz-nos duas famílias, tão reais como a nossa, cujas alegrias e tristezas nos tocarão profundamente ao longo de uma história feita de surpresas."


Resenha:
Depois de muito querer este livro e de o ter integrado na minha lista de desejos para este natal, eis que uma alma caridosa (o meu marido) decidiu oferecer-mo na noite de 24 de Dezembro.
A emoção foi tanta que só já me apetecia fazer uma pausa no Natal (como se fosse possível) e começar a lê-lo. Claro que me tive de conter e como já tinha prometido que em 2016 não iria ler mais nada, decidi que este seria a primeira leitura de 2017.
No segundo dia do novo ano comecei a lê-lo daí até terminá-lo foram apenas um punhado de dias. Agora que o conclui fiquei com a sensação de que não era bem aquilo de que estava à espera, tento em conta o livro "Viver depois de ti" da mesma autora. Apesar da minha desilusão não posso dizer que o tempo foi mal gasto ou que não gostei do livro. De todo, gostei muito da história e da forma como ela se desenvolveu. Mas a determinada altura, comecei a pensar que se a autora tivesse mudado pequenas passagens do livro e o nome dos personagens a leitura continuaria a ser viável e a ser interessante.
Este é um daqueles livros que nos mostra que é possível levantarmo-nos, colar os cacos que de nós restaram e seguir em frente. Louisa Clark diz uma frase, que lhe tinha sido dita pelo Will no livro "Viver depois de ti" que é uma grande verdade "Não podemos deixar que um segundo da nossa vida nos defina". Cada vez mais acredito nisso.
Houve situações aqui relatadas, e são sou a única com essa opinião, que me pareceram demasiado forçadas como é o caso da nova família do Mr. Traynor, os conflitos dos pais da Lou, a relação trabalhista da Lou com Richard Percival... Considero que algumas delas eram até mesmo desnecessárias para o desenvolvimento da história. Depois houve outra coisa que me causou demasiada confusão. Sendo a família Traynor rica e poderosa haveria sempre o risco de ser um alvo fácil para um golpe. Sendo que nos dias de hoje facilmente se faz um teste de adn, fiquei sem perceber como é que toda a gente aceitou uma jovem desconhecida tendo por base as semelhanças físicas sem ter tido a clareza de espirito de confirmar tudo, através da ciência.
A leitura é agradável e fluida, como já era de se esperar, apesar de atravessar alguns períodos mais negros ela é de uma leveza incrível.
Quanto ao trabalho da editora ficaram algumas coisas aquém do que podia ser feito, como foi o caso da existência de vários erros ortográficos que foram surgindo ao longo do livro.


Bom espero não ter cometido alguma gafe ortográfica (lol) nem ter sido demasiado spoiler, para que o encanto da história se quebre. Desejo-vos a todos um bom ano novo e ótimas leituras! ;)

Sem comentários:

Enviar um comentário